Meditação Vipassana

Vipassana, que significa ver as coisas como efetivamente são, é uma técnica de meditação mais antigas da Índia. Foi redescoberta por Gótama, o Buda, há mais de 2500 anos e era ensinada como remédio universal para doenças universais, isto é, an Arte de Viver. Esta técnica não sectária tem por objetivo a total erradicação das impurezas mentais e a resultante elevada felicidade da libertação completa.

Vipassana é um caminho de autotransformação através da auto-observação. Concentra-se na profunda interconexão entre a mente e o corpo, que pode ser experimentada diretamente pela atenção disciplinada das sensações físicas que formam a vida do corpo e que continuamente interconectam e condicionam a vida da mente. É esta jornada baseada na observação, an auto-exploração da raíz comum da mente que dissolve a impureza mental, resultando em uma mente equilibrada repleta de amor e de compaixão.

As leis científicas que operam nossos pensamentos, sentimentos, julgamentos e sensações se tornam claras. Através da experiência direta, a natureza de como progredimos ou regredimos, de como geramos sofrimento ou como nos livramos do sofrimento é compreendida. A vida se torna caracterizada pela consciência expandida, pelo não delírio, pelo autocontrole e pela paz.

A Tradição

Desde o tempo do Buda, Vipassana tem sido passada adiante, até nossos dias, por uma corrente inquebrantável de professores. Embora, indinao de descendência, o professor atual nesta corrente,  S.N. Goenka, nasceu e foi criado em Myanmar. Enquanto lá viveu, teve a sorte de aprender Vipassana de seu professor, Sayagyi U Ba Khin, que era naquela época um funcionário público graduado. Após ter recebido treinamento de seu professor por quatorze anos, Goenka se estabeleceu na Índia e começou a ensinar Vipassana em 1969. Desde, então, ensinou dezenas de milhares de pessoas de todas as raças e de todas as religiões, tando no Ocidente quanto no Oriente. Em 1982, começou a nomear professores assistentes a fim de ajudá-lo a atender à crescente demanda por cursos de Vipassana.

Os cursos

A técnica é ensinada em cursos residenciais de dez dias, durante os quais os participantes seguem um prescrito Código de Disciplina, aprendem os fundamentos do método e praticam o suficiente a fim de experimentar seus resultados benéficos

O curso requer trabalho sério e árduo. Existem três passos para o treinamento. O primeiro passo é, durante o período do curso, abster-se de matar, roubar, atividade sexual, falsa conversa e intoxicantes. Este código simples de conduta moral serve para acalmar a mente, que, de outra forma, ficaria muito agitada para desempenhar a tarefa da auto-observação. O próximo passo é o de desenvolver algum domínio sobre a mente, ao aprender a fixar nossa atenção na realidade natural do fluxo de respiração sempre em eterna mudança, tal como entra, tal como sai das narinas. Lá pelo quarto dia, a mente está mais calma e mais concentrada, mais capaz de experimentar a prática em si de Vipassana, observando as sensações por todo o corpo, compreendendo sua natureza e desenvolvendo equanimidade ao aprender a não reagir a elas. Por fim, no último dia completo, os participantes aprendem a meditação do amor compassivo ou da boa vontade com relação a todos, na qual a pureza desenvolvida durante o curso é compartilhada com todos os seres.

Toda a prática é, na verdade, um treinamento mental. Tal qual usamos o exercício físico para melhorar nossa saúde corporal, Vipassana pode ser usada para desenvolver uma mente saudável.

Tendo em vista ter sido considerada genuinamente útil, grande ênfase é dada na preservação desta técnica em sua forma original e autêntica. Não é ensinada comercialmente, mas, em vez disso, oferecida gratuitamente. Nenhuma pessoa envolvida em seu ensinamento recebe qualquer tipo de remuneração material. Não existe cobrança de taxas pelos cursos – sequer para cobrir os custos da comida e da acomodação. Todas as despesas são pagas pelas doações de pessoas que, tendo concluído um curso e experimentado os benefícios de Vipassana, dar a outras pessoas a oportunidade de se beneficiar igualmente dela.

É óbvio que os resultados surgem gradualmente por intermédio da continuidade da prática. É irrealista esperar que todos os problemas sejam resolvidos em dez dias. Nesse período, contudo, os fundamentos de Vipassana podem ser aprendidos a fim de serem aplicados no dia a dia. Quanto mais praticarmos a técnica, maior liberdade dos sofrimentos teremos e cada vez mais nos aproximaremos do objetivo supremo da completa libertação. Mesmo dez dias podem gerar resultados que são evidentes e obviamente benéficos no dia a dia.

Todas as pessoas sinceras são bem-vindas para frequentar um curso de Vipassana a fim de ver por si mesmas como a técnica funciona e avaliar os benefícios. Todos aqueles que a experimentam, descobrirão que Vipassana é uma ferramenta valiosa, com a qual poderão alcançar e compartilhar a verdadeira felicidade com os outros.